Storytelling e startups – contando a história da sua empresa – parte II

Retomando a série, iremos neste post tratar de um segundo caminho de formação e desenvolvimento de uma startup – a BATALHA PELA FELICIDADE. Por mais piegas que possa soar, muitas grandes empresas e principalmente instituições sólidas e respeitadas nascem desse modo, conforme iremos narrar adiante. O caminho passa pelas quatro etapas já vistas em nosso primeiro post, onde abordamos o caminho da LIDERANÇA TRANSFORMADORA, porém percorre diferentes etapas, como podemos ver em destaque no infográfico abaixo.

[fresh_divider style=”dashed”]

Idealismo, compaixão e apoio

O caminho da BATALHA PELA FELICIDADE começa, em geral, nas mãos de uma só pessoa, ou ainda de um pequeno grupo. Dotados da vontade para mudar o mundo e corrigir as injustiças, atenuar o sofrimento e, sob uma óptica mais empresarial, atender a uma necessidade premente, a figura do líder apoiador, compassivo e com forças para curar e recuperar prevalece neste caminho. Do inglês “caregiver”, esse líder idealista emerge com medidas e ideias que prometem levar seus seguidores à felicidade e à autorrealização. Essa pessoa está associada ou à imagem do curandeiro, que zela pelos seus seguidores, ou da matriarca, que cuida e oferece apoio gentil à sua linhagem.

Empresas surgidas a partir desse tipo de líder tendem a ser mais humanas, tolerantes, compassivas e a alinhar seu crescimento como corporação ou instituição ao próprio crescimento pessoal de seus colaboradores.

[fresh_divider style=”dashed”]

caminhos2

[fresh_divider style=”dashed”]
Um ideal que contagia

Startups criadas por líderes humanos, carismáticos e compassivos tendem a desenvolver não apenas produtos, e sim causas, necessidades, bandeiras ou missões. Os seguidores dos ideais propostos por esse líder, em geral são pessoas que buscam pertencer a um grupo e que anseiam por fazer parte de algo maior – no entendimento de Jung, em arquétipos, esse é o “everyman”, ou o “cara comum”, em uma tradução livre. Tais pessoas levarão o ideal proposto pelo líder carismático adiante, movidos simplesmente por um desejo comum e altruísta de alcançar um bem maior.

[fresh_divider style=”dashed”]

Batalhas e a figura do herói

Que outra interpretação pode se dar ao “herói” de Jung, senão àquele que, movido por uma crença ou ideal, é capaz de superar todas as dificuldades e levar todo um grupo a vencer. Esse é o momento da guinada de startups que traçam esse caminho – dentre os muitos colaboradores, surgirá aquele que será capaz de enfrentar os grandes desafios que o mercado propõe, guiando todos os demais em meio às batalhas que são enfrentadas por esse nova empresa, até que por fim a guerra pela conquista do ideal criado inicialmente pelo líder seja vencida.

[fresh_divider style=”dashed”]

Renovação

Guerras e batalhas são duras, longas, e trazem sofrimento e dor. Mesmo tendo vencido as batalhas, a nova empresa precisará renovar seus ideais e crenças, criando uma atmosfera de otimismo para que novos ciclos e novas missões sejam alcançadas. Aqui se destaca a figura do inocente – os colaboradores e membros da equipe que irão renovar a esperança e o otimismo após as duras batalhas da startup para conseguir o respeito e admiração do público e do mercado.

[fresh_divider style=”dashed”]



Comentários fechados.