Rasello – uma carona no aquecido mercado de celulares da África Subsaariana

[hr]

Startups manejando indicações de comércios, bares, restaurantes ou estabelecimentos em geral não são uma novidade. Serviços de SMS similares tampouco. Porém, poucos conseguiram utilizar o SMS como meio de compartilhamento e engajamento tão eficientemente quanto os africanos. Populações de países da África Subsaariana, como Quênia, Tanzânia e Uganda, ainda têm pouco acesso à internet, equipamentos de última geração e mesmo serviços e contas bancárias.

O mercado de celulares, no entanto, avança rapidamente em toda a região e algumas operadoras já falam em mais de 200 milhões usuários em pouco mais de 10 diferentes nações. Muitas operadoras de telefonia móvel, como a queniana Safaricom, já disponibilizam sistemas de pagamento via SMS – os usuários efetuam depósitos em dinheiro, que são convertidos em crédito para gasto via SMS.

A startup Rasello, da Tanzânia, aproveitou esse crescente mercado, e lançou um serviço de indicações comerciais, que pode ser acessado online, mas também envia e recebe dicas via SMS, dispensando até mesmo o uso da internet para atingir seu público.

[hr]

Capital em Dubai

Natalino Mwenda, fundador do Rasello, diz que recentemente a empresa garantiu vaga em programa junto à aceleradora Seedstartup, em Dubai, nos Emirados Árabes. Concebido inicialmente no formato de diretório, a ferramenta se mostrou uma forma eficiente para pessoas descobrirem ofertas e estabelecimentos de acordo com seus gostos pessoais. Nas primeiras três semanas do piloto, o Rasello recebeu mais de 500 inscrições online. O sistema é simples, conforme explica Mwenda: “as pessoas podem se cadastrar e buscar em todo o banco de dados do Rasello lugares interessantes, procurando por locais com o ícone de “Follow me”. Uma vez optando por segui-los, essas pessoas serão as primeiras a saber sobre boas ofertas e novidades interessantes sobre esses lugares”.

O Rasello atualmente está apenas disponível para o Quênia, Tanzânia e Uganda, mas o empresário espera em breve expandir seu raio de ação para outros países africanos.

[hr] [hr]


Comentários fechados.