Novas startups da terra do sol nascente

[hr]

O Japão foi, durante a década de 1980 e parte de 1990, sinônimo de tecnologia de ponta. A chegada de coreanos e, mais tarde, a inundação de eletrônicos vindos da China ofuscaram o destaque nipônico no segmento, porém o país em si continuou a deter um mercado interno consumidor da última palavra em termos de eletrônica e telecomunicações. Agora, com o fenômeno das startups explodindo em todo o mundo, japoneses também brigam para voltar a ocupar posição de destaque quando a palavra é inovação.

A Startupeando investigou algumas das mais promissoras startups japonesas do momento, que poderão ganhar o mundo e conquistar mercados ao redor do globo nos próximos anos.

[hr]

E-commerce tridimensional

O uso de tablets e o desenvolvimento de tecnologias de marketing para plataformas móveis levaram grande parte das lojas ao ambiente virtual. Hoje é bastante difícil encontrar, praticamente em qualquer parte do mundo, um grande varejista que não esteja presente na internet, com sites de e-commerce, descontos, promoções ou outros expedientes.

A startup japonesa PanoPlaza propõe algo mais radical: levar a própria loja física para a rede, por meio de um ambiente panorâmico de realidade virtual, onde o cliente possa ver a loja em todos os ângulos possíveis, e além disso selecionar e comprar produtos com seu laptop, tablet ou smartphone.

Por meio de fotos fornecidas pelas lojas, o PanoPlaza cria ambientes virtuais que permitem aos clientes navegar pela loja e selecionar e adquirir produtos.

[hr]

Partituras em qualquer lugar

A web 2.0 não havia até agora dado muita atenção aos músicos. Profissionais da música ainda têm de carregar pastas e malas com suas inúmeras partituras, organiza-las e procura-las a cada show ou apresentação – é papel para todo lado. Contudo, a japonesa piaScore pretende mudar essa realidade. O aplicativo gratuito para iPhone da empresa permite o armazenamento de partituras, sua busca otimizada, formatação de sua visualização e até mesmo a inserção de anotações, destaques e rascunhos sobre as partituras existentes.

É claro que os músicos ainda têm de levar seus instrumentos… por enquanto, mas ao menos a maleta de partituras a partir de agora pode ficar em casa.

[hr]

Achando um espaço para trabalhar

Outro fenômeno em escala mundial é a proliferação de espaços de coworking. Algumas startups americanas criaram mecanismos de busca para que se possa encontrar esses espaços, mas a japonesa Coworkify tornou a coisa ainda mais fácil: por meio do aplicativo para smartphones, o usuário pode localizar coworkings próximos efetuando buscas com base em variáveis como o custo por hora, além de permitir a reserva de espaço e também o anúncio, venda e divulgação de pequenos serviços e tarefas que possam ser realizados em escritórios de coworking.

[hr]

 



Comentários fechados.