Inismo – Empreender com o empreendedorismo dos outros

O fenômeno mundial das startups leva ao mercado, diariamente, novos e surpreendentes modelos de negócio. Opções de monetização surgem de todas as frentes e, porque não, do próprio ato de empreender. Consultorias há anos realizam o trabalho chamado “captação de recursos” e de fato algumas plataformas do chamado “fundraising” já vinham se tornando populares entre empreendedores e também investidores. Dentre elas, a experiência da INISMO, de fundação austríaca, parece ter atingido o limite em termos de aceleração de novas ideias e empreendimentos, ao mesmo tempo oferecendo a seus criadores e acionistas um modelo de negócios que gera receita desde o ato de inscrição até o momento de concessão de aportes financeiros e investimentos.

[fresh_divider style=”dashed”]

Do tamanho que você quiser

A plataforma possui ótimos atributos para criação e gerenciamento de projetos, pitches, exposição de planos diretamente a investidores e outros recursos. Para investidores, oferece uma vitrine detalhada a respeito de todos os projetos cadastrados pelas startups participantes. O site, no entanto, leva em conta tanto o tamanho e estágio das startups envolvidas como também o caráter do investidor – pessoas jurídicas pagam 125 euros ao mês pelo acesso ao sistema, enquanto que investidores pessoa-física arcam apenas com metade desse valor.

Para empreendedores, a participação na plataforma pode ser desde gratuita (para empreendimentos em fase de conceito) até uma assinatura ilimitada, com acesso a todos os recursos, por 59 euros ao mês (passando por dois outros planos com relativa limitação).

[fresh_divider style=”dashed”]

Você ganha, eles ganham

Mas existem muitas redes sociais específicas para startups e empreendedores, levantamento de fundos e serviços de apoio a investidores e startups. Contudo, em termos de plano de negócios, a grande sacada do INISMO está no que ocorre após um investimento bem-sucedido. Qualquer startup do sistema agraciada com investimento de até 50 mil euros por parte das empresas e investidores-anjo participantes não paga nada, mas a partir de 50 mil euros, o site cobra uma pequena comissão, que vai de 3% (para valores entre 50 mil e 250 mil euros) até 1% (para valores acima de 5 milhões de euros).

Ou seja, os fundadores do INISMO podem ganhar, com uma única startup bem-sucedida ao angariar fundos, até 50 mil euros ou mais de uma só vez – mas isso somente se a startup se der realmente bem.

[fresh_divider style=”dashed”]



Comentários fechados.