Ingresse – amazonenses representam Brasil na 500 Startups

[hr]

Saiu a nova rodada da 500 Startups – 26 empresas serão investidas e participarão do já conhecido programa do fundo americano. Os sócios da 500 Startups destacaram a presença internacional desta vez: segundo eles, embora sempre houvesse presença de startups estrangeiras em rodadas anteriores, a tendência se acentuou nesta nova leva de empresas. E entre companhias de países como Austrália, Espanha e Japão, figura também a brasileira Ingresse, de Manaus. A Startupeando entrou em contato com o pessoal da Ingresse, entrevistando o fundador Marcelo Henrique:

[hr]

StartupeandoPrimeiro – como chegaram a até o 500 Startups? É bastante legal que uma empresa de Manaus tenha ganho espaço no Vale do Silício, de modo que eu queria que você contasse um pouco de como aconteceu a história toda, desde o início.

Marcelo Henrique – A Ingresse sempre foi muito ligada com o Vale do Silício, o que tem gerado oportunidades em diversas frentes. A 500 Startups surgiu em nosso mapa desse mesmo jeito. O Gabriel, um dos fundadores da Ingresse, havia acabado de sair de uma semana de provas em Stanford e estava preparando as malas para voltar ao Brasil e tocar o negócio junto comigo em Manaus, quando recebeu um convite para um jantar na casa de Bedy Yang, fundadora da Brazil Innovators e venture partner na 500 Startups.

Gabriel quase recusou ir ao evento devido ao cansaço e preparativos para viagem, mas aceitou o convite – fundadores nunca recusam convites. E foi ótimo. No jantar teve o primeiro contato com Bedy.  Quando ele voltou ao Brasil foi convidado para apresentar a Ingresse no evento Geeks on a Plane na Microsoft, em São Paulo. A relação entre Bedy e o projeto só cresceram a partir daí foi que recebemos o convite para participar da 500 Startups.

[hr]

Home principal do Ingresse

[hr]

Startupeando – Há diversas startups na área de eventos e venda de ingressos, mas na minha opinião pessoal, a plataforma de vocês é realmente inovadora no formato. Que outras novidades podemos esperar e de que outras formas o Ingresse se diferencia da concorrência?

M. H. – O primeiro forte do nosso projeto é que não vemos a venda de ingressos como nossa área de atuação. Nossa missão é ser a ferramenta que vai ajudar as pessoas a encontrar o evento que elas amam. Já falaram por aí que estamos querendo nos tornar uma rede social. Os eventos que por si só já são sociais e nós gostamos de evidenciar isso. Acredito que por remover o “jeitão” e-commerce do nosso site para algo mais dinâmico e divertido, temos caminhado cada vez mais num caminho diferente das lojas de ingressos online convencionais. E vai continuar assim. Vamos atuar como conectores entre os organizadores e quem procura eventos, fornecendo ferramentas que facilitem a compra de ingressos e a decisão de ir ou não.

[hr]

Startupeando – Agora que participarão do 500 Startups, qual a agenda dos próximos meses?

M. H. – Nós temos uma equipe que ainda está no Vale do Silício e eles nos representarão na 500 Startups. Eu e o Gabriel fizemos uma viagem de um mês, em abril, ao Vale somente para conhecer e nos apresentarmos. Não dá para construir um negócio com bases no Brasil distante de nossa matriz. Possivelmente, faremos algumas outras viagens mais curtas ao prédio da 500 Startups, em Montain View, mas nada que venha a afetar nossa agenda de atividades e projetos.

[hr]

Startupeando –  Quem são as pessoas por detrás do Ingresse, e como contribuíram para tornar o projeto realidade?

M. H. – A Ingresse possui três fundadores, Eu, Gabriel e Sébastien Robaszkiewicz, ou simplesmente Robi. Mas tudo que a Ingresse é e vai ser se deve ao excelente conjunto de pessoas que temos conosco. Nossos vendedores que sempre captam oportunidades ótimas, nossa equipe de marketing e comunicação que fazem um papel excepcional de posicionamento da Ingresse, o grupo de desenvolvimento, espalhados por cinco cantos diferentes do país, nossos colunistas de nosso portal de notícias sobre eventos. E, não menos importante, nossa comunidade de mais de três mil pessoas sempre comentando eventos, compartilhando, dando sugestões para o site e porque falar de evento sem falar deles não faz sentido algum.

Pode parecer clichê sair agradecendo todo mundo, mas toda a sinergia entre esses grupos é que compõe nossa atmosfera.

[hr]

Outras empresas na rodada

Convenhamos: o mercado de aplicativos e startups está inundado hoje de programas e sistemas de organização de tarefas e afins. Claro que existem excelentes opções e também algumas com aplicação bastante específica, mas de um modo geral, organizadores genéricos são uma coisa que definitivamente não está em falta na internet.

Uma das investidas da 500 Startups nesta rodada é um programa organizador. A Bluefields.com é um organizador para times e equipes esportivas – o aplicativo concentra e centraliza trocas de e-mails, mensagens e SMS em um mesmo sistema, embora funcione basicamente como qualquer outro organizador. É gratuito, mas sem dúvida seus verdadeiros diferenciais aparecerão (ou não) com a participação no programa americano de aceleração.

[hr]

Se livrando da prancheta

Quem participou do último censo se lembra do quão mais fácil as entrevistas se tornaram como o uso do PDA por parte dos entrevistadores. A Happy Inspector, que também participa da nova rodada do fundo americano, quer levar essa mesma facilidade ao mercado de perícias e inspeções. Um aplicativo que pode ser baixado para tablets promete tornar a rotina desses profissionais muito mais dinâmica – jogue a prancheta fora e faça suas inspeções e avaliações com o tablet – gerando relatórios mais facilmente e incluindo até mesmo fotos.

A empresa fornece planos de cobrança por inspeção e mensal, por aparelho. Contudo, Jindou Lee, um dos responsáveis pela companhia, disse à Startupeando que é possível negociar diretamente preços para planos corporativos, no caso de empresas que visem a adoção do sistema para mais de um inspetor ou perito – basta entrar em contato. Lee também afirma que, apesar do aplicativo estar hoje disponível apenas para iOS, há planos de lançá-lo para Android e demais sistemas.

[hr]

Mais fotos em panorama

O TeliportMe é mais um app para geração de fotos em panorama ou realmente algo inovador e diferente? Essa empresa selecionada pela 500 Startups promete facilitar ainda mais o compartilhamento e criação de fotos panorâmicas, para concorrer em um mercado que já conta com aplicativos como o DMD Panorama, já mencionado aqui na Startupeando.

[hr]


Comentários fechados.