Estagiare – lembrando dos estudantes na nova onda de sites de emprego

[hr]

Até agora, ao menos em número de acessos, sites tradicionais de busca de vagas de emprego, como o Catho e o Manager Online, não foram afetados pela nova onda de sistemas relacionados ao segmento de RH. Porém, candidatos cada vez mais se tocam que não precisam pagar para localizar oportunidades. A entrada do site internacional Monster e outros players nesse mercado tirou o candidato o ônus da pesquisa de emprego, oferecendo serviços ao empregador, ao invés de basear seu modelo de negócios na cobrança de serviços e taxas de pessoas que, na verdade, estão em busca de renda.

A nova onda de sites nessa área traz modelos como o do Yeapiz, já citado aqui no Startupeando, e conta também com novatos estrangeiros, como o recente TrabalhoJá, uma iniciativa da americana AssuredLabor. Em meio a essa revoada de novas plataformas, o Estagiare surge com um diferencial: o foco no público estudante e universitário.

[hr]

A Startupeando conversou com André Moura, um dos fundadores do Estagiare, para saber mais sobre os diferenciais dessa plataforma, bem com as expectativas que a cercam.

“Bem, nós somos 3 co-fundadores. Não estamos mais na fase de buscar estágio, mas já vivemos bem este momento como estudantes e agora vemos nas empresas por onde passamos como é complicado conseguir o estagiário ideal”, desabafa Moura. “Para os estudantes, é um caos ter que acompanhar todos os sites de empresas e consultorias de RH para ver quando tem vaga disponível. Para as empresas, é praticamente inviável administrar a divulgação de vagas em vários canais simultaneamente”, explica.

Moura diz que, ainda assim, é mais fácil conseguir um estágio hoje em dia. Redes sociais e sites mais interativos facilitam a vida do candidato e as empresas contratantes passaram realmente a ver a internet como o principal canal para a busca de profissionais e a investir em mídias disponíveis online. “Mas mesmo assim, ainda é difícil garantir que os melhores candidatos (ou até mesmo o ideal) está vendo a oportunidade”, afirma ele.

“A idéia do Estagiare é essa: reunir em uma plataforma os estudantes que procuram oportunidades e as empresas que estão divulgando estágios, o que simplifica a vida de ambos”. A proposta é ser o ponto de encontro de diversos canais, diz Moura, o que inclui a internet convencional, o e-mail, redes sociais e outras plataformas.

Assim como no caso da Catho, Moura diz que o Estagiare também irá produzir conteúdo de apoio, tanto para candidatos quanto para empresas.

“Quanto ao modelo de negócio, não acreditamos que estudantes – ou qualquer outro candidato – deva pagar para se inscrever em vagas” – esse parece ser o ponto comum desses novos sites. “Então, nosso modelo de geração de receitas está baseado na cobrança da postagem das vagas, quando poderemos oferecer outros serviços pagos também”. Quanto aos estudantes, é possível que assinaturas premium, com mais serviços, sejam adicionadas, mas sem que no entanto isso afete as chances daqueles candidatos que utilizam gratuitamente o sistema.

[hr]


Comentários fechados.