stevecarelllead
LEIA MAIS
Como destruir a CLT

O brasileiro, especialmente de nível superior, vive colocando suas frustrações sobre a CLT, ao menos em discussões do Facebook. O modelo retrógrado trabalhista seria o responsável pelas mazelas empresariais, estancaria […]

Como se dar bem em 2016

Esse título certamente é recorrente. Todos os grandes noticiários do país, se já não o publicaram, deverão fazê-lo nos próximos dias. O mais engraçado é o fato desse material estar […]

6 lendas sobre o mercado freelancer

Atuar como freelancer não é coisa exclusiva de moleques afim de descolar um troco para a balada. O brasileiro médio ainda vê a categoria com esses olhos e muitas empresas […]

Como trabalhar para um completo imbecil

A maioria de nós se julga muito mais inteligente do que realmente é, mas o fato é que às vezes estamos cobertos de razão. Alguns chefes, autoridades, clientes e até investidores e acionistas são completos imbecis. Contudo, eles possuem validação em suas imbecilidades e métodos burros e retrógrados, seja ela concedida por outra autoridade maior (e às vezes ainda mais imbecil), por sua fama e amigos ou por seu dinheiro.

O fato é que, por mais que você se considere um gênio, e em comparação a seu chefe ou cliente você realmente o seja, você ainda tem de garantir a comida na mesa – portanto, antes mais nada, engula o choro e continue lendo. Reclamar e alimentar seu próprio ego não faz com que você tenha sucesso ao trabalhar com imbecis. Contudo, existem algumas táticas interessantes, que irão tirar chefes, clientes e investidores com QI de ostra do seu pé.

Registre tudo ao trabalhar

Essa certamente é a melhor dica para trabalhar com completos imbecis. Tudo escrito, anotado, com datas, troca de e-mails e nada sem aprovação. Sempre redija contratos, se você é freelancer ou possui uma empresa. O completo imbecil, apesar de intelectualmente limitado, é esperto: ele sempre tentará culpá-lo pelas imbecilidades que comete a granel. Mantenha anotações de tudo e controle cada pedido ou solicitação.

Importante: quando for jogar na cara a imbecilidade, se faça de desentendido e confuso. O imbecil pode detectá-lo como um semelhante e compadecer-se de sua burrice, já que a dele o aflige diariamente.

Cobre uma “taxa-paciência”

É foda lidar com gente imbecil. Custa caro, toma tempo, consome paciência e até mesmo exige algum esforço físico. Se você tem que trabalhar com um completo imbecil, é melhor que pelo menos esteja sendo remunerado de acordo.

Modéstia parte, faço muitos trabalhos primorosos para excelentes clientes que tenho por R$ 300,00 ou R$ 400,00 aqui e ali. Para o imbecil, o mesmo orçamento chega a ultrapassar R$ 3 mil ou R$ 4 mil. A matemática é simples: o trabalho em si vale R$ 400,00, mas minha paz de espírito custa os outros 90% do valor.

Seja claro e direto

Um imbecil não entende metáforas. Corte a bosta da linguagem de marketing ou técnica que você costuma usar e substitua por uma linguagem de vendas. Para chefes, clientes e investidores muito imbecis, copie discursos de venda de rua e calçadões. Para os medianamente imbecis, prefira usar da mesma linguagem dos “textos que vendem” na internet.

O excesso de detalhes pernósticos fará com que pessoas assim simplesmente derrubem sua ideia ou projeto. “Ele não é viável”, eles dirão, quando na verdade querem dizer que não entenderam um cacete do que está escrito.

quotes

Induza-o ao acerto

Isso mesmo – o erro ele dá conta sozinho. Polvilhe suas ideias e considerações de modo que ele concorde, antes mesmo que você as apresente como soluções. Isso fará com que ele tome a ideia como sendo dele, e acabe “permitindo” sua implementação. Como eu disse, os completos imbecis são espertos, e se você quer trabalhar com eles, terá de sacrificar a autoria de algumas de suas ideias e soluções, em prol de sua paz e evolução.

Use a magia da inteligência

A inteligência repele a burrice. Se quer tirar a prova, basta esperar até que um completo imbecil elogie seu trabalho e pergunte “como” ele foi feito. Essa é a hora de usar toda a linguagem técnica, perniciosa e impossível de decifrar. O comportamento do imbecil é bastante interessante nesses momentos, e envolve 4 estágios básicos:

  1. “Cara de conteúdo”. Como diria a antiga propagando do Estadão, nos primeiros segundos um completo imbecil finge estar compreendendo, e de fato ainda tem esperanças de que em algum momento irá pescar algo do que você diz.
  2. Perguntas estilo repetição. Num segundo estágio, os completos imbecis irão fazer perguntas que consistem basicamente na informação que você acaba de dar, com um ponto de interrogação ao final. Coisas como “então você usou Python?”, “é melhor fazer isso direto pelo servidor, né?” ou “tem que ser responsivo mesmo, não é mesmo?”.
  3. Momento “ocupado”. Nesse terceiro estágio, o completo imbecil irá começar a interrompê-lo, “lembrando” de seus importantes e essenciais afazeres, já num movimento que esboça traços de desespero e necessidade de correr.
  4. Esse é meu ônibus. No quarto estágio (quando eles chegam até aqui), o imbecil fará uso imediato de qualquer desculpa que exista ao redor para simplesmente sumir. Pedirá desculpas e seguirá outra pessoas, iniciando alguma conversa inútil. Verá algo ocorrendo em outra parte do escritório. Atenderá o telefone de um terceiro, porque “está esperando uma ligação” e por aí vai.
Não seja um completo imbecil

Esse é o ponto crucial da coisa toda. Muitas vezes, ao ser promovido, contratar serviços ou se tornar um investidor em alguma outra empresa menor, você precisa resistir ao ímpeto de agir como um completo imbecil. Algumas coisas fazem milagres para evitar que você chegue a esse ponto:

  • Não trate seus subordinados como crianças de 12 anos.
  • Compreenda seu departamento ou área de atuação a fundo.
  • Saiba como seus funcionários, comandados ou investidos realizam o trabalho deles.
  • Quando for contratar um serviço que você não tem sequer ideia de como funciona, peça a um terceiro que faça a gestão do fornecedor.
  • Invista em áreas que você compreende e com as quais tenha familiaridade. Nada contribui mais para o fracasso do que pitacos de alguém que não entende o que está fazendo.
  • Seja cordial e admita ignorância ou inexperiência em algumas coisas. Não saber não é vergonha alguma, mas “fingir que sabe” é completamente imbecil.

Finalmente, pegue todo aquele vocabulariozinho pronto que todas as áreas e setores da economia possuem, apenas para justificar a existência de líderes que são completos imbecis, e substitua por algo realmente útil e honesto. Você não precisa ser um gênio – a meta é deixar de ser um imbecil.

2 Comentários

  1. Jane says:

    Pois é! Adorei seu texto de imbecilidade. Está aí o apoio desnecessário aos parafusos de geléia. Pessoas que se acham como você estão afundando o ciclo mestre aluno por conta da arrogância e prepotência mascarada. PLANTE E COLHA! Seja aluno para depois querer ser professor. Admire pessoas de Sucesso. E o mais importante aprenda a escrever menos e produzir mais! Vagabundos como você estão em toda parte bancando os espertos!

    • Carlos Matos says:

      Você LEU o texto? Se leu, não entendeu um cacete. E outra, “trabalhador”, quem sabe quando você produzir o suficiente para ter tempo de escrever, você também consiga escrever algumas imbecilidades. Meus votos de felicidade à sua maravilhosa e produtiva vida de “sucesso”.