LEIA MAIS
Por que paramos de falar em startups?

Quem lia nosso blog deve ter reparado (ou não lia): não escrevemos nada faz pelo menos 6 meses. Claro, mantivemos algumas postagens em redes sociais, mas o fato é que […]

Pronto! Já pode desligar o módulo empreendedor!

Estranho um título como esse em um blog sobre empreendedorismo, startups e afins, não é mesmo? A verdade é que faz todo o sentido. Não irei perder meu tempo realizando […]

Limite de uso na banda larga – o que muda para startups?

Tudo indica que não vai ter jeito – a internet de banda larga será pedagiada, assim como ocorreu com as conexões de 3G e 4G. Teoricamente respaldadas por regras da […]

AprendaComigo – ensinando e aprendendo com o usuário

A própria filosofia de criação de uma empresa startup envolve o aprendizado – primeiro, a compreensão do segmento e mercado no qual se pretende atuar. Depois, na fase de validação, aprendendo junto ao cliente a melhor forma de apresentação de um produto ou serviço. E o processo de aprendizagem não pára por aí. Empreendedores aprendem com mentores, investidores, fornecedores, clientes e até concorrentes.

A startup com foco em educação AprendaComigo, a despeito do nome, não fugiu da regra. Um dos fundadores, o engenheiro de software Antônio Roberto, conta que a plataforma sofreu uma mudança diametral, principalmente em termos de design, mas também em sua formatação e funcionalidades. Com uma plataforma mais minimalista e direta e um sistema baseado em pontos, o AprendaComigo agora pretende trazer certa revolução à forma de aprender na internet, segundo o fundador.

“Não pretendemos ser ou nos parecer com uma réplica virtual de uma instituição de ensino. Percebemos a necessidade de algo diferente: uma nova forma de adquirir conhecimento. Um meio interativo, dinâmico, filtrado, moderado e que possa ser acessado a qualquer momento aproveitando a profusão de ferramentas e serviços na nuvem”.

[fresh_divider style=”dashed”]
Faturamento em “pontos”

O AprendaComigo “pivotou” seu modelo, no melhor jargão ‘startupeiro’. Além da simplificação da plataforma na maneira de compartilhar e adquirir conhecimento, foi implementada uma busca mais direta e a possibilidade de compartilhar conteúdo e vídeos gratuitamente, mas também mediante a cobrança de “pontos” do aluno ou usuário. “Percebemos a eficácia na aprendizagem quando esta é fruto da relação entre seres humanos e não quando provém de uma plataforma de curso ou ensino. O dinamismo e a praticidade do conhecimento compartilhado em vídeo criam a possibilidade de uma experiência rápida e efetiva no que diz respeito a aprender e ensinar”, comenta Roberto.

Quanto a aulas e videoaulas pagas, tutores e professores na plataforma podem agora cobrar um número determinado de pontos por aluno. Os usuários podem adquirir pacotes de pontos, com os quais podem acessar todo tipo de conteúdo que possua algum custo. Para quem posta os vídeos, cada “ponto” cobrado rende o equivalente a R$ 0,25. O usuário paga os pontos e desbloqueia o vídeo, que fica a partir desse momento disponível a qualquer momento, quando o usuário voltar ou reingressar na plataforma.

Para quem quiser entender melhor, um infográfico foi criado para explicar o sistema de pontos.

[fresh_divider style=”dashed”]


Comentários fechados.