19dcydatfeweejpg
LEIA MAIS
Por que paramos de falar em startups?

Quem lia nosso blog deve ter reparado (ou não lia): não escrevemos nada faz pelo menos 6 meses. Claro, mantivemos algumas postagens em redes sociais, mas o fato é que […]

Odeie a Bel Pesce – agora é ‘hype’

Até uma semana e pouco atrás, todos os exultantes e fascinados “empreendedores” por profissão no mercado online e nas redes sociais adoravam e idolatravam a Menina do Vale. Não importa […]

Devo criar minha empresa no Brasil ou no exterior?

Muitos empreendedores jovens, alguns ainda vivendo com os pais, têm feito repetidamente a si mesmos e a colegas, amigos e conselheiros essa mesma pergunta: “devo abrir minha empresa aqui ou […]

4 modos infalíveis de arrancar dinheiro de uma startup

Segundo muitos acreditam, startups são uma maneira arriscada de se ganhar muito dinheiro. Tudo ótimo, a não pela palavra “arriscada”. Muitos empreendedores não estão dispostos a correr esses riscos. Para eles, entretanto, um novo mercado se abriu, no qual rios de dinheiro são gastos sem muita desfeita ou enrolação – o mercado de fundadores de startups, ou potenciais empreendedores, como preferir.

O modelo de negócio mais bem sucedido do momento é aquele que tem como foco e clientela os próprios fundadores de empresas. Nesse mercado, não importa se uma startup tem um produto bom, uma ideia certeira ou um público-alvo bem definido. O que importa é quanto e por quanto tempo seus fundadores podem gastar.

Neste post, ensinaremos 4 técnicas infalíveis de arrancar dinheiro de empreendedores que, diariamente, aplicam seu rico dinheirinho (e às vezes o dinheiro dos pais ou de investidores) em ideias que nem sempre são tão boas, mas podem durar o suficiente para garantir um bom sustento a empreendedores um pouco mais escolados.

Abra uma aceleradora

Tecnicamente, uma aceleradora é constituída por pessoas que possuem know-how e contatos que podem impulsionar de forma rápida os negócios de startups que estejam dando seus primeiros passos. Investindo em termos de recursos e de apoio, além de bons contatos para os empreendedores de startups, as aceleradoras criam oportunidades que não seriam possíveis para marinheiros de primeira viagem que são os startupeiros.

Bem, essa é a definição teórica da coisa. Contudo, você pode criar uma aceleradora sem conhecer ninguém, ou simplesmente vendendo um método que teoricamente seja capaz de impulsionar negócios para startups. Usando palavras da moda e enumerando conceitos que, na verdade dos fatos, não têm qualquer segredo e poderiam ser facilmente aprendidos por startupeiros que cultivassem a prática da leitura, você pode criar uma aceleradora, cobrando uma taxa dos empreendedores participantes e, se der sorte, além de arrancar uns bons trocados desses caras, você ainda pode embolsar uma fatia desses negócios, caso algum deles realmente vá para frente.

Crie cursos com nomes bonitos

Eu estava cozinhando agora há pouco. Enquanto esperava a panela ferver, pensei em alguns temas que poderiam dar bons cursos para empreendedores de startups:

  • “Storytelling e Métricas – Estabelecendo o grau de aprendizado de seus clientes”.
  • “Dobrando conversões com gatilhos mentais”.
  • “Neurolinguística do caos – criando novos públicos com postagens sem direcionamento”.

Os três temas possuem algumas características em comum. Primeiro, acabei de criá-los, juntando alguns conceitos da moda a ideias ridículas e sem qualquer embasamento. Além disso, nenhum deles possui uma linha sequer de teoria escrita, mas tenho certeza de que poderia escrever algumas páginas de baboseiras nas próximas duas horas. Em terceiro lugar – é muito provável que, jogando tais temas em uma plataforma de ensino online, eu tenha algumas inscrições no espaço de umas poucas horas.

Cursos idiotas para todos os gostos

Criou-se a falsa ideia de que empreendedores podem ser formados a partir de cursos e oficinas de algumas horas. Ainda que isso ajudasse na maioria dos casos, empreendedores parecem mais dispostos a consumir “conhecimento” advindo de nomes inventados e palestrantes de visual hipster do que conteúdos ainda essenciais para qualquer empresa, como contabilidade ou noções de direito tributário.

O resultado? Mais dinheiro no seu bolso e menos probabilidades de que essas startups venham a ser, algum dia, empresas na real acepção da palavra.

Produza conteúdo “que vende”

Tenho ouvido com frequência a expressão “palavras que vendem”. Lendo, contudo, artigos produzidos com tais técnicas, fico sinceramente perplexo a respeito de quem realmente compra algo descrito com textos tão mal escritos, sem coesão alguma e com repetições intermináveis de palavras-chave e expressões imbecis de suspense. O mais provável é que ninguém leia esses conteúdos de forma integral – eles são péssimos.

O argumento são os tais ‘gatilhos mentais‘. Ora, por mais imbecil e intelectualmente limitado que seu cliente possa ser, é praticamente impossível adquirir um produto após ler textos de 3 mil palavras que não contenham sequer uma lógica textual equivalente a uma redação do ENEM.

Palavras que vendem uma merda de conteúdo para sua empresa

Por outro lado, após alguma análise, compreendi o verdadeiro significado das “palavras que vendem”. Elas são uma merda, mas misteriosamente, muita gente está pagando por elas. OK, dou o braço a torcer: elas vendem.

SEO, o deus da startup

SEO é algo de importante para qualquer empresa nos dias de hoje. Ranquear bem, produzir conteúdo indexável, criar formas de chegar ao cliente por meio do conteúdo e de links… tudo isso é essencial e parte considerável do marketing atual. Porém, eu disse “parte”. Estranhamente, vejo fundadores de startups hoje em dia mais felizes quando veem seus websites em primeiro lugar no Google do que quando vendem seu primeiro produto ou serviço.

Divulgar é essencial para qualquer startup, e um bom ranqueamento no Google facilita a divulgação, sem dúvida. Contudo, há outras maneiras de conseguir clientes. Pessoalmente, frequentando eventos (que não os voltados para startups), criando bom conteúdo em diversas frentes e até mesmo criando equipes de vendas que usem uma ferramenta “antiga”, que é o telefone. Mas nada disso importa. Se você realmente quer ganhar dinheiro nas costas de uma startup, prometa um bom ranqueamento e crie uma estratégia básica de SEO, baseada em palavras-chave óbvias e sem qualquer pesquisa junto ao público-alvo e em investimentos pesados em AdWords e outros mecanismos de publicidade.

3 Comentários

  1. Marco says:

    BeL pesce pira nesse post kkkkk
    Tirando a brincadeira de lado faz todo o sentido sim , mas falariam com ressalva do seo ,hoje é a mídia mais eficiente e barata para vender de fato , é inbound marketing ? É , mas fazer um marketing ativo e abrangente tá cada vez mais caro , até tornando inviável a margem , valeu abs

  2. Val says:

    Concordo com o Felipe. Além do mais, o ecossistema tá bem viciado: muitos vendedores de ilusões.

  3. Felipe says:

    Faltou o jeito mais facil …

    Criar eventos sobre Startups.